Publicando na WEB & Podcasts

INTRODUÇÃO – ECONOMIA POLÍTICA DA WEB

Atualmente existem inúmeras formas de publicar conteúdos na WEB. A rápida evolução na velocidade de tráfego de arquivos considerados médios (áudio) e grandes (vídeo) possibilitou e facilitou a publicação de conteúdos na Internet. A primeira fase da WEB desmentiu a ideia de que o mundo da comunicação continuaria a ser controlado pelo grandes portais de comunicação. A arquitetura em rede e horizontal conjugada a um conhecimento mínimo em softwares e aplicativos abriu espaço para inúmeros interessados passarem a atuar como “publicadores”, ou seja produtores e criadores na rede.

O aparecimento dos blogs foi um dos primeiros sinais de que algo mudaria no mundo editorial e este fato inaugurou a fase conhecida como WEB 2.0. Essa fase é marcada pela mudança e a multiplicação dos atores comunicativos. As corporações e mesmo algumas empresas recém formadas passaram muito mais a oferecer as plataformas e as condições técnicas para os vorazes “publishers” ao invés de elas mesmas criarem e difundirem os conteúdos. Tal qual a propriedade da rede de auto-organização e sistema aberto, esses mesmos produtores de informação criavam os seus nichos, espaços de troca e construção de público, a partir das afetividades e afinidades temáticas.

A internet vem crescendo e mudando em seus aspectos políticos, embora muitos discordem desta conceituação (que de fato está bastante marcada por especulações “marketeiras” e uma espécie de golpe corporativo), a WEB 3.0 esta aí, mantendo um espaço crescente de possibilidades de publicações, mas no entanto muito mais colonizada por interesses comerciais e publicitários. Há uma centralização das empresas de mídias digitais e as soluções, bem como, o trânsito de informação na internet se tornou bem mais especializado e segmentado em serviços pagos e mais controlados. Há uma apropriação da ideia de web semântica, isto é, uma internet em que humanos, máquinas e bancos de dados na nuvem, aprofundados por ferramentas de geolocalização integram a vida social às tecnologias da informação quase sempre a serviço de interesses econômicos. Tudo que acontece na rede, de uma forma ou de outra é registrado e pode ser usada sem necessariamente estabelecermos um código de ética e de invasão da privacidade.

Se liguem!

PARTE 2 – MONTANDO SEU ESPAÇO SONORO NA INTERNET

ABAIXO UM RESUMO E DICAS PARA QUEM DESEJA LEVAR A SÉRIO A IDEIA DE CRIAR UM PODCAST NA WEB

Embora existam diversos serviços gratuitos na rede tanto de armazenamento de arquivos, bem como plataformas de publicação, caso deseje publicar conteúdo na Internet de forma profissional ou mesmo com qualidade técnica será necessário a aquisição de alguns serviços:

  1. Um domínio próprio. O famoso www.qqcoisa.com ou .net ou .org. Esse fator amplia possibilidades de visibilidade nas ferramentas de busca, além de criar uma identidade própria ao seu conteúdo.
  2. Um hosting, ou seja um hospedeiro para seus conteúdos na Internet. Existem diversas empresas que oferecem esse serviço com diferentes planos de serviços, como espaço de armazenamento, número de sites permitidos, tráfego de pessoas, serviços de multimídia etc. Caso você não seja um expert em tecnologia dê preferência a hostings mais icônicos e que ofereçam serviços de instalação automáticas de blogs e outras plataformas de publicação de conteúdos (one-click-install).
  3. No caso de podcasts, conhecimento em gravação e edição de áudio tornam-se fundamentais, a não ser que você queira pagar alguém para fazer esse trabalho para você, mas lembrem-se, tudo isso vira custo e hoje em dia há inúmeras facilidades na manipulação de conteúdos audiovisuais. Esforce-se um pouco e nunca diga “eu não sei”, “nunca vou conseguir”…. corra atrás!
  4. Utilizar ferramentas e perfis em redes sociais é fundamental. Buscar sinergias positivas entre estes espaços de interatividade e o seu site na internet. Nesse caso, é importante publicar com uma certa frequência nas redes sociais, manter uma comunicação permanente com seu público e difundir suas publicações do site.
  5. Frequência de publicação no site. Bem se você decidiu ter um site mantenha uma rotina de publicações. Pode ser mensal caso você não pretenda monetizar suas publicações, mas para quem pretende fazer algum barulho o ideal é que as publicações tenham pelo menos uma frequência semanal.
  6. Por fim é importante que o seu podcast esteja também configurado esteja “linkado” com ferramentas integradas com serviços de distribuição de podcasts, nesse caso o itunes e os aplicativos para android.

 

REFERÊNCIAS

BLOGS, TUTORIAIS E DICAS

https://mundopodcast.com.br/podcasteando/

http://www.postdigital.cc/blog/artigo/as-5-melhores-plataformas-para-blog

http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2016/09/blogger-wordpress-tumblr-ou-medium-qual-melhor-plataforma.html

https://marketingdeconteudo.com/como-criar-um-blog/

https://viverdeblog.com/como-divulgar-meu-blog/

PODCAST HOSTS

https://hearthis.at/

http://www.blogtalkradio.com/

https://www.buzzsprout.com/

https://www.spreaker.com/

https://soundcloud.com/

https://www.mixcloud.com/discover/

WEBSITES GRATUITOS

https://www.joomla.com/

https://www.jimdo.com/

https://www.strikingly.com/

https://pt.wix.com/

https://br.wordpress.com/

PODCASTS

https://medium.com/@olinadsantana/os-melhores-epis%C3%B3dios-dos-10-melhores-podcasts-brasileiros-de-2016-6e457a495514

https://medium.com/@olinadsantana/os-melhores-epis%C3%B3dios-dos-10-melhores-podcasts-internacionais-de-2016-a17341cec915

http://www.b9.com.br/podcasts/

http://www.b9.com.br/podcasts/mamilos/

http://podcastnbw.com/

http://cinemacomrapadura.com.br/rapaduracast-podcast/

http://podcastnbw.com/

https://podflix.com.br/

http://radiofobia.com.br/podcast/category/podcast/

http://beercast.com.br/categoria/programas/

https://www.marcosramon.net/podcast/

https://jovemnerd.com.br/nerdcast/

http://www.faq21.com/episodios

https://xadrezverbal.com/category/audio/

anticast.com.br/sejapatrao/

ETC ETC ETC

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *